Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos

A Cáritas Diocesana de Jundiaí realiza atividades no bairro do Jd. Novo Horizonte desde 2001, para a promoção e articulação da comunidade local. Ao longo dos anos as ações foram sendo ampliadas e em 2007 a organização inaugura o Centro Comunitário São Francisco de Assis, onde são desenvolvidos entre outros projetos sócio promocionais, o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos.

O SCFV desenvolve atividades no território de vulnerabilidade social, para crianças, adolescentes, jovens e idosos, com intervenção social planejada e permanente, contribuindo no desenvolvimento de políticas públicas municipais, na área de assistência social, referenciados pelo CRAS Novo Horizonte, atuando na Proteção Social Básica.

As intervenções direcionadas tem um caráter preventivo e proativo, na formação para a participação e cidadania, desenvolvimento do protagonismo e da autonomia, a partir dos seus interesses, demandas e potencialidades por grupos de ciclos etários. As atividades são pautadas em experiências lúdicas, culturais e esportivas como formas de expressão, interação, aprendizagem, sociabilidade na prevenção de situações de risco social.

A “metodologia considera a contextualização da realidade, respeitando os diferentes estágios de compreensão, sensibilização e adesão aos processos através da participação e do diálogo construtivo das decisões; opção pelas pedagogias que viabilizam processos de formação da consciência crítica e que considerem a necessidade de desconstrução de saberes e práticas que reproduzem as diversas formas de dominação, de desigualdade e de exploração insustentável da natureza!”documentos Cáritas Brasileira.

 

Objetivo Geral: Assegurar o serviço de proteção social básica e espaços de referência de convívio familiar e comunitário, desenvolvendo relações de afetividade, sociabilidade e participação cidadã para crianças, adolescentes, jovens e idosos em situação da vulnerabilidade, do território de abrangência do CRAS Novo Horizonte.

Objetivos Específicos:

  1. Possibilitar a ampliação do universo informacional artístico e cultural, bem como estimular o desenvolvimento de potencialidades, habilidades, talentos e propiciar sua formação cidadã;
  2. Complementar as ações da família, e comunidade na proteção e desenvolvimento de crianças, adolescentes no fortalecimento dos vínculos familiares e sociais;
  3. Oportunizar o acesso às informações sobre direitos e sobre participação cidadã, estimulando o desenvolvimento do protagonismo dos usuários;
  4. Assegurar espaço de encontro para os idosos e encontros intergeracionais de modo a promover a sua convivência familiar e comunitária;
  5. Possibilitar o reconhecimento do trabalho e da educação com direito de cidadania e desenvolver conhecimento sobre o mundo do trabalho e competências específicas básicas para o grupo de 16 a 17 anos.

Público Alvo:

  • 2 grupos de crianças de 07 a 12 anos – 40 usuários
  • 1 grupo de adolescentes de 13 a 15 anos –20 usuários
  • 1 grupo de adolescentes de 16 a 17 anos – 20 usuários
  • 1 grupo de idosos acima dos 60 anos – 20 usuários